24 de fevereiro de 2010

Homofobia???

Ontem no twitter, quase fui jogada aos leões quando disse que estava torcendo para o Dourado permanecer no BBB e que gostaria que o Dicésar saísse e declarei minha preferência. Recebi diversos replies, criticando minha opção e me chamando de homofóbica. (????)

Com isso eu percebo que o BBB não é mais como antes. A gente tinha o direito de gostar do fulano por ser sincerro, de não gostar da fulana por ser chata, boba, feia. Perguntei: 'por que eu não posso gostar do Dourado?'
e tenho a resposta: 'porque ele é um machista homofóbico que bate em mulheres'

Dourado disse que o sexo entre um homem e uma mulher não transmite Aids. Sabemos que é MENTIRA. O nome  disso é 'ignorância', Homofobia é outra coisa.

Dicésar disse que tem nojo de assistir filmes de hétero. Isso é aceitável, pq ele é homossexual. Ele não foi em nenhum momento preconceituoso e infeliz ( ah tá).

Angélica diz que não usa preservativo com suas parceiras, e pq ela não é 'uma puta'. O nome disso não é ignorância, porquê ela é homossexual. 

Eliéser protagonizou duas discussões onde agrediu verbalmente duas mulheres, Normal, isso pode né Bial?
Dourado disse que SE pudesse bater em uma mulher, esta seria a Morango. Pronto, ele é homofóbico.
(Ninguém no auge da raiva nunca teve vontade de bater em alguém e a Lei Maria da Penha é uma ilusão.)

Para mim, agressão verbal consumada é muito pior do que uma agressão física que sequer existiu. Mas ele tá errado Brasil, ele é homofóbico.

As pessoas estão usando a palavra homofobia de maneira pejorativa e acusatória. Ninguém mais pode discordar com um homossexual, que já vira um ato discriminatório.

Eu acho que respeito deve ser um sentimento recíproco. Se quer ser respeitado, respeite. 
Para essa causa tão nobre, que é a defesa dos direitos do homossexuais surtir efeito, esses direitos não devem ser impostos. E não podemos classificar como discriminatórias as opiniões arbitrárias às opiniões da comunidade gay.

A  Sua liberdade individual não pode ferir a minha, e isso é recíproco. Respeito não se impõe, se conquista.


E no meio dessa gente desequilibrada, de machões rotulados como machistas, gays tentanto conquistar com sua 'fragilidade', eu torço pro Serginho. Ele deu um tapa na cara da sociedade, que ainda vai demorar um tempo para acordar.
Dispensou os rótulos, livrou-se dos preconceitos e da idéia de dizer que é o lado mais fraco da história.
Ele não forçou ninguém a gostar dele por ser gay, mas está fazendo gostarem dele por ser ele mesmo, e que a orientação sexual só diz respeito à você mesmo. É desse tipo de respeito que eu estou falando. Você se dá o respeito, para que as pessoas possam te respeitar também.


Enfim, o Big Brother é só um jogo, e não seremos nós os ganhadores de um milhão e meio. Deixem de hipocrisia.









Nenhum comentário:

Postar um comentário